Japão se prepara para duplo cenário de coronavírus e desastre natural

1 06 2020

Governos locais despertam para a necessidade de se preparar para um cenário de pior caso – desastre natural e surto de coronavírus afetando suas áreas ao mesmo tempo

Ginza
Governos locais no Japão estão despertando para a necessidade de se preparar para um cenário de pior caso – um desastre natural e surto de coronavírus afetando suas áreas ao mesmo tempo.

Apesar do fim do estado de emergência por causa do surto do vírus que o primeiro-ministro Shinzo Abe declarou para a nação toda em um ponto, infecções não chegaram a zero e o arquipélago está em alerta contra um ressurgimento nos casos após algumas cidades terem registrado clusters (aglomerados) de infecções nos últimos dias.

O Japão é propenso a desastres naturais como terremoto ou tufões, e municípios locais têm planos de resposta. Mas este ano, eles estão enfrentando dificuldades para prevenir que abrigos de emergência se tornem focos de infecções por coronavírus, visto que a chegada da temporada das chuvas afetará o país inteiro em junho.

A cidade de Kesennuma (Miyagi) decidiu aumentar de 12 para 25 o número de escolas e centros comunitários que fornecerão abrigos principalmente para residentes idosos que iniciam o processo de evacuação antes dos outros em casos de desastres como inundações.

Kesennuma tem um total de 96 instalações prontas para servir como abrigos de emergência na sequência de desastres incluindo terremoto ou tsunami.

O plano é destinado a evitar a superlotação de instalações de emergência ao dispersar os evacuados e reduzir aos riscos de transmissão do vírus, visto que o Japão está pedindo às pessoas que evitem espaços fechados, lugares lotados e contato próximo, os 3 Cs em inglês (closed spaces, crowded places e close-contact settings).

As pessoas em abrigos precisam manter uma distância de 2 metros e usar desinfetantes, de acordo com as diretrizes operacionais da cidade.

Mas um oficial da cidade reconhece que ajuda de entidades de fora, como associações de residentes locais, pode ser necessária para operar essas instalações. “Funcionários do governo da cidade podem não ser suficientes”, disse o oficial.

A região nordeste do Japão foi devastada pelo grande terremoto e tsunami em 2011 que causou o pior acidente nuclear na província de Fukushima desde o de Chernobyl.

Número de casos no Japão aumenta, mas a um ritmo bem mais lento
Especialistas médicos estão pedindo por vigilância contínua contra o vírus que causa pneumonia, embora Abe tenha declarado em 25 de maio que o estado de emergência estava encerrado.

O número total de casos no Japão continua aumentando, embora a um ritmo bem mais lento, com a contagem situando-se a 17,5 mil, incluindo cerca de 700 do navio de cruzeiro Diamond Princess que ficou sob quarentena na cidade de Yokohama em fevereiro.

Todos os anos, o Japão é atingido por uma série de terremotos, e vários tufões que causam caos em partes do arquipélago em todo verão e outono nos últimos anos.

Se aumentar a necessidade de buscar abrigo, os evacuados serão encorajados a trazerem suas próprias máscaras, sabonetes e termômetros.

A cidade de Amagasaki (Hyogo) planeja preparar abrigos que aceitarão exclusivamente pessoas que tiveram contato próximo com infectados ou para aqueles que retornaram do exterior.

Mas ir a instalações de evacuação preparadas por autoridades do governo não é a única opção, desde que haja outros lugares seguros. Hotéis e pousadas no estilo japonês também podem representar um papel importante, diz o governo central.

Visto que a disponibilidade de quartos flutua dia a dia, o uso de hotéis pode não ser fácil. “É difícil criar planos com antecedência sobre o uso de hotéis”, disse um oficial do governo da cidade de Nagano (província homônima), que foi atingida pelo tufão Hagibis em outubro passado.

A cidade planeja se organizar com hotéis quando um desastre ocorrer.
Fonte: Portal Mie com Kyodo News and Cuture





Japão analisa possibilidade de suspensão parcial do estado de emergência

13 05 2020

Restrições podem ser aliviadas em 39 províncias onde o número de infecções pelo coronavírus apresentou queda

suspensão estado de emergência
O governo japonês planeja decidir nessa quinta-feira, 14, se irá antecipar a suspensão do estado de emergência em algumas partes do país.

Segundo a emissora pública NHK, as restrições atuais podem ser aliviadas em 39 províncias onde o número de infecções pelo novo coronavírus apresentou queda. Isso inclui províncias como Aichi, Fukuoka, Ibaraki e Gifu, que vêm obtendo sucesso na redução da propagação da Covid-19. A emissora informou ainda que serão considerados alguns fatores, como o número de novas infecções por 100 mil pessoas nas últimas duas semanas.

Por outro lado, as restrições devem permanecer em vigor em Tóquio e em províncias vizinhas; Hyogo – que está muito próximo a Osaka – e Hokkaido também devem continuar como áreas com restrições, porque o número de novas infecções continua chamando a atenção.

Em províncias como Ishikawa – que conseguiu mapear a rota dos focos de contágio – e Quioto, que faz fronteira com Osaka, ainda será necessária uma análise mais detalhada.

Na terça-feira, dia 12, foram confirmados 28 casos na capital japonesa. Os números vêm diminuindo, mas a governadora Yuriko Koike pede para que os residentes mantenham os cuidados com a higiene e isolamento social.
Fonte: Alternativa





Coronavírus pode infectar 80% da população japonesa se medidas não forem reforçadas, diz especialista

20 03 2020

Aglomerações de pessoas devem ser evitadas, segundo as autoridades

corona população japão
Um painel de especialistas que orienta o governo japonês sobre o novo coronavírus disse que 80% da população do país poderia ser infectada se nenhuma medida for tomada para combater a doença, informou a emissora NHK nesta sexta-feira (20).

No pior cenário, segundo Hiroshi Nishiura, professor da Universidade de Hokkaido, a proliferação do novo vírus poderia ser igual ou pior à atual situação de alguns países europeus, onde o número de mortos e infectados cresceu de forma descontrolada.

Considerando uma cidade com 100 mil habitantes, o número de novos casos de coronavírus poderia chegar a mais de 5 mil por dia depois do 50º dia desde o surto, atingindo 79,9% dos moradores, e mais de 1.000 pacientes do grupo de risco (idosos e portadores de doenças) precisariam de cuidados intensivos, ultrapassando a capacidade médica local.

Por isso, segundo o professor, é importante o governo reforçar as medidas adotadas até agora, evitando grandes eventos e a aglomeração de pessoas, principalmente em locais fechados com pouca ventilação.

Por outro lado, o painel de especialistas defendeu que as áreas do Japão com baixo número de casos de coronavírus podem considerar a retomada de aulas e de eventos esportivos e culturais ao ar livre.

Shigeru Omi, membro do painel e presidente da Organização de Saúde Comunitária do Japão, disse que em áreas com pouco sinal do vírus, a reabertura de escolas e o retorno gradual às atividades normais podem ser considerados, embora seja necessária uma vigilância rigorosa.

“Estamos insistindo em critérios muito rigorosos se os organizadores decidirem realizar eventos de grande escala”, disse Omi em uma entrevista coletiva que se estendeu até a madrugada desta sexta-feira.

“E se esses critérios não puderem ser atendidos, o evento deverá ser adiado ou cancelado”.

O Japão já teve quase 1.000 casos de coronavírus transmitidos internamente e 34 mortes, excluindo as infecções no navio de cruzeiro Diamond Princess.

Hokkaido suspende emergência
O governo de Hokkaido, a província com o maior número de infecções no Japão – mais de 150, suspendeu o estado de emergência na quinta-feira, depois de uma redução no número de novos casos, mas manteve o alerta. Os moradores devem evitar saídas desnecessárias de casa, segundo as recomendações locais.

O governador de Osaka, Hirofumi Yoshimura, pediu aos moradores para evitar viagens à província vizinha de Hyogo neste fim de semana prolongado, que começa nesta sexta-feira devido ao feriado de Equinócio da Primavera.

Osaka e Hyogo estão entre as províncias com mais casos de covid-19 no Japão: 119 e 95, respectivamente.

O Japão fechou escolas e cancelou muitos eventos esportivos e culturais, mas absteve-se de impor restrições firmes a viagens, negócios e restaurantes, e o isolamento social não pegou como uma salvaguarda recomendada.

“O fechamento de escolas é bom ou algo sem sentido? No momento, não temos dados científicos para ter certeza”, disse o professor Hiroshi Nishiura.
Fonte: Alternativa com Reuters





Cerimônia de abdicação do imperador deve acontecer em 30 de abril

19 04 2019

A cerimônia de abdicação será a primeira do tipo na história da constituição do Japão

akihito emperor
O governo japonês decidiu oficialmente realizar a cerimônia de abdicação do imperador Akihito em 30 de abril como um ato de estado estipulado sob a Constituição.

A decisão sobre uma das cerimônias relacionadas à sucessão imperial foi feita durante uma reunião do Gabinete nesta sexta-feira (19). A cerimônia de abdicação será a primeira do tipo na história da constituição do Japão.

A Taiirei-Seiden-no-gi, ou Cerimônia de Abdicação de Sua Majestade o Imperador, no Salão do Estado, será realizada por 10 minutos, a partir das 17h em 30 de abril na Matsu-no-ma no Palácio Imperial em Tóquio.

A cerimônia terá a participação de mais de 300 dignitários, incluindo os líderes dos escritórios legislativo, executivo e judiciário, ministros do Gabinete, assim como os chefes de governos locais.

Após o imperador Akihito e a imperatriz Michiko entrarem na sala, a Espada e Joia Imperial – dois dos três tesouros que são símbolos do trono imperial – serão colocados em bancadas chamadas “an”.

O primeiro-ministro Shinzo abe vai declarar que o imperador abdicará ao trono com base em uma lei especial que entrou em vigor em junho de 2017. Abe manifestará sua gratidão ao imperador em nome do público.

O imperador de saída então fará um discurso, o qual será o seu último como soberano.

O príncipe herdeiro Naruhito deve ascender ao trono como novo imperador em 1º de maio.

O governo realizará uma reunião extraordinária do Gabinete no dia para aprovar oficialmente a primeira cerimônia para o novo imperador como um ato de estado constitucional.

A Cerimônia para Herdar as Joias e Selos Imperiais será realizada logo após a reunião do Gabinete.
Fonte: Portal Mie com NHK





Programa de Convite ao Japão para os Descendentes de Japoneses da América Latina e do Caribe

18 07 2018

convite ao japao2018

O governo japonês oferece, por meio do Consulado Geral, o programa de visita ao Japão para descendentes de japoneses com o objetivo de aumentar a compreensão sobre a atualidade do Japão e as políticas do país.  Os participantes do programa deverão se comprometer em divulgar eficazmente os aspectos da atualidade, assim como a política do país em suas respectivas comunidades e redes sociais após o retorno.

Os interessados residentes na jurisdição do Consulado Geral do Japão em São Paulo (Estados de SP, MT, MS e região do Triângulo Mineiro) devem atender aos requisitos abaixo mencionados e encaminhar os documentos necessários por e-mail, conforme explicitado no item 3 abaixo.

*Residentes em localidades diferentes das acima mencionadas deverão contatar a representação diplomática japonesa responsável pela sua jurisdição. Cada representação diplomática manterá calendário próprio, portanto o período de inscrição e os documentos necessários poderão variar.

1. Requisitos 
(1) Ser descendente de japoneses;
(2) Forte vontade em divulgar ativa e continuamente o Japão durante o programa e após o retorno em blogs ou mídias sociais;
(3) Ter nível de conhecimento de língua inglesa suficiente para discussões e trocas de ideias (todas as atividades oficiais relacionadas ao programa no Japão serão realizadas em inglês);
(4) Comprometer-se em organizar evento de divulgação do programa e do Japão dentro do prazo de 3 meses, de forma independente, após o retorno ao Brasil. O formato do evento e a sua organização são livres.

2. Documentos Necessários 
(1) Formulário de inscrição para o “Programa de convite para descendentes de japoneses da América Latina e do Caribe”
Clique aqui para baixar o formulário (Word)
(2) Redação:
– Título: “As minhas expectativas em participar do Programa de Convite a Descendentes”
– Extensão: 01 página A4 em fonte Times New Roman (12)
Observação: não se esquecer de escrever o nome do autor

3. Período de Inscrição: 25  a 31  de julho de 2018
(1) Serão aceitas somente inscrições enviadas no período acima por e-mail ao Consulado Geral do Japão em São Paulo: cgjpolitica3@sp.mofa.go.jp
(2) Serão aceitas somente as inscrições enviadas em formato PDF ou Word.

4. Processo Seletivo
(1) Avaliação interna de documentos pelo Consulado Geral do Japão em São Paulo;
(2) Comunicação de convocação para a entrevista por e-mail: somente para os selecionados na avaliação documental;
(3) Entrevistas presenciais previstas para os dias 06 e 07 de agosto (datas ainda a serem definidas) no Consulado Geral do Japão em São Paulo com os candidatos pré-selecionados na avaliação interna. Não serão realizadas entrevistas por telefone, videoconferências ou outros meios em hipótese alguma;
(4) Indicação dos candidatos selecionados pelo Consulado ao Ministério dos Negócios Estrangeiros do Japão (MOFA);
(5) Escolha final dos candidatos pelo MOFA.
(6) Divulgação dos candidatos aprovados na página do Consulado Geral do Japão em São Paulo.
(7) Não serão informados os motivos de desclassificação referente a nenhuma etapa do processo.

5. Detalhes do Programa
(1) Período de estadia no Japão: 17 a 25 de setembro de 2018;
(2) Número total de participantes: 15 pessoas da América Latina e do Caribe;
(3) Despesas: o governo japonês arcará com as despesas relacionadas ao programa e suas atividades, como: passagem de ida e volta em classe econômica, hospedagem, refeições, transporte doméstico no Japão e seguro viagem. Despesas decorrentes de visitas extras fora do programa, aquisição de presentes e lembranças, telefonemas particulares, lavanderia, etc. deverão ser arcadas pelo próprio participante.

     (4) Programação principal (sujeita a alterações):

  • Encontro com altas autoridades do governo japonês;
  • Troca de ideias com especialistas em América Latina e do Caribe e outras áreas de atuação;
  • Reuniões com oficiais responsáveis do MOFA;
  • Vivência e experimentação da cultura japonesa;
  • Visita a localidades dentro e fora de Tóquio.

6. Acompanhamento após Retorno

  • O convidado deverá organizar um evento de divulgação do programa e do Japão dentro do prazo de 3 meses, de forma independente, após o retorno ao Brasil. O formato do evento e a sua organização são livres, conforme especificado no item 1 em “Requisitos”.
  • O participante deverá divulgar eficazmente o Japão de variadas formas, inclusive em redes sociais, blogs, imprensa, etc. de forma ativa e continuamente.
  • O participante será convidado a ser membro da Associação Brasileira de Ex-Bolsistas Gaimusho Kenshusei formada por ex-participantes do programa. Esta associação realiza reuniões mensais e é uma entidade independente do Consulado. No entanto, é fortemente recomendada a participação ativa dos participantes no programanessa Associação após o seu retorno do Japão.

Fonte: Consulado Geral do Japão em São Paulo





Japão planeja introduzir em aeroportos sistema de reconhecimento facial para estrangeiros

29 12 2017

Os planos são de introduzir, a partir de abril de 2019, sistema de reconhecimento facial em aeroportos para estrangeiros que saem do paísreconhecimento facial para estrangeirosPortões automáticos com sistema de reconhecimento facial serão instalados em grandes aeroportos no Japão para fazer a verificação de cidadãos estrangeiros que saem do país, a partir de abril de 2019, anunciou o Ministério da Justiça.

Três portões do tipo já estão em uso no Aeroporto de Haneda em Tóquio para identificar cidadãos japoneses que retornam do exterior.

Em 2018, portões adicionais serão instalados nos Aeroportos de Narita (Chiba), Kansai (Osaka) e Fukuoka (província homônima), que também serão usados eventualmente para identificar estrangeiros que saem do país.

No total, o governo visa ter instalados em cinco aeroportos 137 portões com sistema de reconhecimento facial.

A medida visa tanto agilizar os processos de partida como reforçar a verificação de entrada. Espera-se que funcionários do aeroporto possam ser liberados para inspeções de imigração.

O sistema identifica um indivíduo ao comparar a foto no chip de silicone embutido em seu passaporte com uma imagem capturada no local – se corresponderem, o portão é aberto.

O uso mais amplo de passaportes biométricos e melhorias significativas em tecnologia de reconhecimento fácil levaram à introdução dos portões, disse o ministério.

Antes do sistema poder ser expandido para incluir verificação de cidadãos estrangeiros, no entanto, serão necessários testes adicionais. Uma questão será garantir que ele possa fazer a leitura correta de dados contidos nos passaportes de diferentes países.

O governo japonês estabeleceu uma meta de aumentar o número de visitantes estrangeiros para 40 milhões em 2020 e 60 milhões em 2030, e melhorar a eficiência do procedimento de entrada e partida é uma importante questão.
Fonte: Portal Mie com Nikkei





Parlamento Japonês cria comitê para incentivar estrangeiros residentes a estudar “nihongo”

13 11 2016

A medida tem como objetivo incentivar os estrangeiros ao aprendizado da língua local para que possam melhor colaborar com o crescimento da economia
lousa
O Parlamento Japonês criou um comitê encarregado de estudar formas para incentivar os estudantes e trabalhadores estrangeiros residindo no Japão a aprender a língua japonesa. O Ministro da Educação, Takeo Kawamura, do Partido Liberal-Democrata, foi designado como presidente do comitê instalado na terça-feira (8), informou o jornal Mainichi. O cargo de vice-Presidente deve ficar com Masaharu Nakagawa, do Partido Democrático Progressista, ex-Ministro da Educação no governo do Primeiro-Ministro Yoshihiko Noda (2011-2012).

A medida tem como objetivo incentivar os estrangeiros ao aprendizado da língua local para que possam melhor colaborar com o crescimento da economia.

O Governo Japonês vem abrindo o mercado de trabalho para mão de obra estrangeira em diversos setores. Em 2015, o número de estrangeiros vivendo no Japão era de 2,2 milhões, o maior desde 1959, quando esse tipo de dado começou a ser coletado. No entanto, o total é baixo se comparado a outros países do G-7, o grupo das sete maiores economias do planeta. Segundo dados do Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar Social, do total de estrangeiros, 41% ou 907 mil foram declarados como trabalhadores.

Os parlamentares membros do comitê devem estudar formas para aumentar o número de professores de língua japonesa para estrangeiros, criando se for necessário uma legislação específica para a promoção da língua local. Não se sabe se a obrigatoriedade da formação escolar até o ensino fundamental japonês, também para estrangeiros, fará parte do texto.
Fonte: Alternativa