Programa de Convite ao Japão para os Descendentes de Japoneses da América Latina e do Caribe

18 07 2018

convite ao japao2018

O governo japonês oferece, por meio do Consulado Geral, o programa de visita ao Japão para descendentes de japoneses com o objetivo de aumentar a compreensão sobre a atualidade do Japão e as políticas do país.  Os participantes do programa deverão se comprometer em divulgar eficazmente os aspectos da atualidade, assim como a política do país em suas respectivas comunidades e redes sociais após o retorno.

Os interessados residentes na jurisdição do Consulado Geral do Japão em São Paulo (Estados de SP, MT, MS e região do Triângulo Mineiro) devem atender aos requisitos abaixo mencionados e encaminhar os documentos necessários por e-mail, conforme explicitado no item 3 abaixo.

*Residentes em localidades diferentes das acima mencionadas deverão contatar a representação diplomática japonesa responsável pela sua jurisdição. Cada representação diplomática manterá calendário próprio, portanto o período de inscrição e os documentos necessários poderão variar.

1. Requisitos 
(1) Ser descendente de japoneses;
(2) Forte vontade em divulgar ativa e continuamente o Japão durante o programa e após o retorno em blogs ou mídias sociais;
(3) Ter nível de conhecimento de língua inglesa suficiente para discussões e trocas de ideias (todas as atividades oficiais relacionadas ao programa no Japão serão realizadas em inglês);
(4) Comprometer-se em organizar evento de divulgação do programa e do Japão dentro do prazo de 3 meses, de forma independente, após o retorno ao Brasil. O formato do evento e a sua organização são livres.

2. Documentos Necessários 
(1) Formulário de inscrição para o “Programa de convite para descendentes de japoneses da América Latina e do Caribe”
Clique aqui para baixar o formulário (Word)
(2) Redação:
– Título: “As minhas expectativas em participar do Programa de Convite a Descendentes”
– Extensão: 01 página A4 em fonte Times New Roman (12)
Observação: não se esquecer de escrever o nome do autor

3. Período de Inscrição: 25  a 31  de julho de 2018
(1) Serão aceitas somente inscrições enviadas no período acima por e-mail ao Consulado Geral do Japão em São Paulo: cgjpolitica3@sp.mofa.go.jp
(2) Serão aceitas somente as inscrições enviadas em formato PDF ou Word.

4. Processo Seletivo
(1) Avaliação interna de documentos pelo Consulado Geral do Japão em São Paulo;
(2) Comunicação de convocação para a entrevista por e-mail: somente para os selecionados na avaliação documental;
(3) Entrevistas presenciais previstas para os dias 06 e 07 de agosto (datas ainda a serem definidas) no Consulado Geral do Japão em São Paulo com os candidatos pré-selecionados na avaliação interna. Não serão realizadas entrevistas por telefone, videoconferências ou outros meios em hipótese alguma;
(4) Indicação dos candidatos selecionados pelo Consulado ao Ministério dos Negócios Estrangeiros do Japão (MOFA);
(5) Escolha final dos candidatos pelo MOFA.
(6) Divulgação dos candidatos aprovados na página do Consulado Geral do Japão em São Paulo.
(7) Não serão informados os motivos de desclassificação referente a nenhuma etapa do processo.

5. Detalhes do Programa
(1) Período de estadia no Japão: 17 a 25 de setembro de 2018;
(2) Número total de participantes: 15 pessoas da América Latina e do Caribe;
(3) Despesas: o governo japonês arcará com as despesas relacionadas ao programa e suas atividades, como: passagem de ida e volta em classe econômica, hospedagem, refeições, transporte doméstico no Japão e seguro viagem. Despesas decorrentes de visitas extras fora do programa, aquisição de presentes e lembranças, telefonemas particulares, lavanderia, etc. deverão ser arcadas pelo próprio participante.

     (4) Programação principal (sujeita a alterações):

  • Encontro com altas autoridades do governo japonês;
  • Troca de ideias com especialistas em América Latina e do Caribe e outras áreas de atuação;
  • Reuniões com oficiais responsáveis do MOFA;
  • Vivência e experimentação da cultura japonesa;
  • Visita a localidades dentro e fora de Tóquio.

6. Acompanhamento após Retorno

  • O convidado deverá organizar um evento de divulgação do programa e do Japão dentro do prazo de 3 meses, de forma independente, após o retorno ao Brasil. O formato do evento e a sua organização são livres, conforme especificado no item 1 em “Requisitos”.
  • O participante deverá divulgar eficazmente o Japão de variadas formas, inclusive em redes sociais, blogs, imprensa, etc. de forma ativa e continuamente.
  • O participante será convidado a ser membro da Associação Brasileira de Ex-Bolsistas Gaimusho Kenshusei formada por ex-participantes do programa. Esta associação realiza reuniões mensais e é uma entidade independente do Consulado. No entanto, é fortemente recomendada a participação ativa dos participantes no programanessa Associação após o seu retorno do Japão.

Fonte: Consulado Geral do Japão em São Paulo

Anúncios




Japão planeja introduzir em aeroportos sistema de reconhecimento facial para estrangeiros

29 12 2017

Os planos são de introduzir, a partir de abril de 2019, sistema de reconhecimento facial em aeroportos para estrangeiros que saem do paísreconhecimento facial para estrangeirosPortões automáticos com sistema de reconhecimento facial serão instalados em grandes aeroportos no Japão para fazer a verificação de cidadãos estrangeiros que saem do país, a partir de abril de 2019, anunciou o Ministério da Justiça.

Três portões do tipo já estão em uso no Aeroporto de Haneda em Tóquio para identificar cidadãos japoneses que retornam do exterior.

Em 2018, portões adicionais serão instalados nos Aeroportos de Narita (Chiba), Kansai (Osaka) e Fukuoka (província homônima), que também serão usados eventualmente para identificar estrangeiros que saem do país.

No total, o governo visa ter instalados em cinco aeroportos 137 portões com sistema de reconhecimento facial.

A medida visa tanto agilizar os processos de partida como reforçar a verificação de entrada. Espera-se que funcionários do aeroporto possam ser liberados para inspeções de imigração.

O sistema identifica um indivíduo ao comparar a foto no chip de silicone embutido em seu passaporte com uma imagem capturada no local – se corresponderem, o portão é aberto.

O uso mais amplo de passaportes biométricos e melhorias significativas em tecnologia de reconhecimento fácil levaram à introdução dos portões, disse o ministério.

Antes do sistema poder ser expandido para incluir verificação de cidadãos estrangeiros, no entanto, serão necessários testes adicionais. Uma questão será garantir que ele possa fazer a leitura correta de dados contidos nos passaportes de diferentes países.

O governo japonês estabeleceu uma meta de aumentar o número de visitantes estrangeiros para 40 milhões em 2020 e 60 milhões em 2030, e melhorar a eficiência do procedimento de entrada e partida é uma importante questão.
Fonte: Portal Mie com Nikkei





Parlamento Japonês cria comitê para incentivar estrangeiros residentes a estudar “nihongo”

13 11 2016

A medida tem como objetivo incentivar os estrangeiros ao aprendizado da língua local para que possam melhor colaborar com o crescimento da economia
lousa
O Parlamento Japonês criou um comitê encarregado de estudar formas para incentivar os estudantes e trabalhadores estrangeiros residindo no Japão a aprender a língua japonesa. O Ministro da Educação, Takeo Kawamura, do Partido Liberal-Democrata, foi designado como presidente do comitê instalado na terça-feira (8), informou o jornal Mainichi. O cargo de vice-Presidente deve ficar com Masaharu Nakagawa, do Partido Democrático Progressista, ex-Ministro da Educação no governo do Primeiro-Ministro Yoshihiko Noda (2011-2012).

A medida tem como objetivo incentivar os estrangeiros ao aprendizado da língua local para que possam melhor colaborar com o crescimento da economia.

O Governo Japonês vem abrindo o mercado de trabalho para mão de obra estrangeira em diversos setores. Em 2015, o número de estrangeiros vivendo no Japão era de 2,2 milhões, o maior desde 1959, quando esse tipo de dado começou a ser coletado. No entanto, o total é baixo se comparado a outros países do G-7, o grupo das sete maiores economias do planeta. Segundo dados do Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar Social, do total de estrangeiros, 41% ou 907 mil foram declarados como trabalhadores.

Os parlamentares membros do comitê devem estudar formas para aumentar o número de professores de língua japonesa para estrangeiros, criando se for necessário uma legislação específica para a promoção da língua local. Não se sabe se a obrigatoriedade da formação escolar até o ensino fundamental japonês, também para estrangeiros, fará parte do texto.
Fonte: Alternativa