Japão planeja introduzir em aeroportos sistema de reconhecimento facial para estrangeiros

29 12 2017

Os planos são de introduzir, a partir de abril de 2019, sistema de reconhecimento facial em aeroportos para estrangeiros que saem do paísreconhecimento facial para estrangeirosPortões automáticos com sistema de reconhecimento facial serão instalados em grandes aeroportos no Japão para fazer a verificação de cidadãos estrangeiros que saem do país, a partir de abril de 2019, anunciou o Ministério da Justiça.

Três portões do tipo já estão em uso no Aeroporto de Haneda em Tóquio para identificar cidadãos japoneses que retornam do exterior.

Em 2018, portões adicionais serão instalados nos Aeroportos de Narita (Chiba), Kansai (Osaka) e Fukuoka (província homônima), que também serão usados eventualmente para identificar estrangeiros que saem do país.

No total, o governo visa ter instalados em cinco aeroportos 137 portões com sistema de reconhecimento facial.

A medida visa tanto agilizar os processos de partida como reforçar a verificação de entrada. Espera-se que funcionários do aeroporto possam ser liberados para inspeções de imigração.

O sistema identifica um indivíduo ao comparar a foto no chip de silicone embutido em seu passaporte com uma imagem capturada no local – se corresponderem, o portão é aberto.

O uso mais amplo de passaportes biométricos e melhorias significativas em tecnologia de reconhecimento fácil levaram à introdução dos portões, disse o ministério.

Antes do sistema poder ser expandido para incluir verificação de cidadãos estrangeiros, no entanto, serão necessários testes adicionais. Uma questão será garantir que ele possa fazer a leitura correta de dados contidos nos passaportes de diferentes países.

O governo japonês estabeleceu uma meta de aumentar o número de visitantes estrangeiros para 40 milhões em 2020 e 60 milhões em 2030, e melhorar a eficiência do procedimento de entrada e partida é uma importante questão.
Fonte: Portal Mie com Nikkei

Anúncios




Parlamento Japonês cria comitê para incentivar estrangeiros residentes a estudar “nihongo”

13 11 2016

A medida tem como objetivo incentivar os estrangeiros ao aprendizado da língua local para que possam melhor colaborar com o crescimento da economia
lousa
O Parlamento Japonês criou um comitê encarregado de estudar formas para incentivar os estudantes e trabalhadores estrangeiros residindo no Japão a aprender a língua japonesa. O Ministro da Educação, Takeo Kawamura, do Partido Liberal-Democrata, foi designado como presidente do comitê instalado na terça-feira (8), informou o jornal Mainichi. O cargo de vice-Presidente deve ficar com Masaharu Nakagawa, do Partido Democrático Progressista, ex-Ministro da Educação no governo do Primeiro-Ministro Yoshihiko Noda (2011-2012).

A medida tem como objetivo incentivar os estrangeiros ao aprendizado da língua local para que possam melhor colaborar com o crescimento da economia.

O Governo Japonês vem abrindo o mercado de trabalho para mão de obra estrangeira em diversos setores. Em 2015, o número de estrangeiros vivendo no Japão era de 2,2 milhões, o maior desde 1959, quando esse tipo de dado começou a ser coletado. No entanto, o total é baixo se comparado a outros países do G-7, o grupo das sete maiores economias do planeta. Segundo dados do Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar Social, do total de estrangeiros, 41% ou 907 mil foram declarados como trabalhadores.

Os parlamentares membros do comitê devem estudar formas para aumentar o número de professores de língua japonesa para estrangeiros, criando se for necessário uma legislação específica para a promoção da língua local. Não se sabe se a obrigatoriedade da formação escolar até o ensino fundamental japonês, também para estrangeiros, fará parte do texto.
Fonte: Alternativa