Tóquio vai aumentar alerta de coronavírus para nível mais grave

18 11 2020

O número de infecções tem aumentado na capital e em todo o Japão

O governo metropolitano de Tóquio está se preparando para aumentar o alerta de coronavírus para o mais alto dos quatro níveis, à medida que o número de casos positivos cresce na capital japonesa, informou o jornal Nikkei nesta quarta-feira (18).

Como parte da mudança, o governo de Tóquio está considerando pedir a algumas empresas para encurtarem suas horas novamente, disse o jornal, citando várias fontes não identificadas. O anúncio será feito na quinta-feira, disse o Nikkei.

Tóquio baixou o nível de alerta de 4 para 3 em 10 de setembro, depois que o número diário de infecções caiu de um pico no verão de mais de 400 casos. Desde o início deste mês, no entanto, os contágios aumentaram, atingindo o máximo em três meses de 393 casos na semana passada e acumulando um total de 35.229.

O nível de alerta mais alto indica que “as infecções estão se espalhando”, contra o menos grave “as infecções parecem estar se espalhando”.

Ainda assim, o Japão está longe do número crítico de infecções e mortes visto em muitos países ocidentais, com cerca de 121 mil casos positivos e 1.920 mortes relatadas até agora.

O número de testes também está muito baixo, com alguns milhares por dia em Tóquio, uma cidade com uma população de 14 milhões.

O Nikkei disse que a capital manterá seu nível de alerta para preparação médica no segundo nível mais alto, indicando a necessidade de aumentar a capacidade, mas que as condições ainda não são restritas. De acordo com o site do governo metropolitano, 1.281 pacientes estão internados atualmente com Covid-19 em Tóquio, que tem 2.640 leitos para essa doença.
Fonte: Alternativa com Reuters





ANA amarga pior resultado financeiro e retomada dos voos internacionais prioritariamente por Haneda

22 10 2020

A companhia aérea japonesa teve que recorrer a empréstimos de mais de 1 trilhão de ienes

A ANA-All Nippon Airways informou que deverá fechar o ano fiscal com um prejuízo de 500 bilhões de ienes, o pior de todos, superando o do Lehman Shock, por causa da crise desencadeada pela pandemia do novo coronavírus.

Os voos internacionais foram cancelados ou reduzidos em 90% enquanto os das rotas domésticas, na ordem de 50%. Para a retomada das rotas para o exterior informou que dará prioridade para o Aeroporto de Haneda, dentre as que opera, como Narita, KIX e Centrair. Reduzirá cerca de 800 voos de 28 rotas.

A companhia aérea japonesa garantiu financiamento de 1,35 trilhão de ienes através de empréstimos e linhas de crédito de instituições financeiras, para seu capital de giro de cerca de 1 ano. Para superar essa crise terá que reduzir custos de pessoal e fazer revisão das rotas.

Este mês comunicou ao sindicato sobre a redução dos salários dos funcionários. Além disso, serão vendidas cerca de 30 aeronaves, o que representa cerca de 10% de todo o grupo, como o Boeing 777.
Fonte: Portal Mie com NHK





Jetstar informa redução de rotas, incluindo as do Centrair

9 10 2020

Além de reduzir rotas os voos regulares serão menos frequentes. No Centrair manteve 2 rotas

A LCC-low cost carrier Jetstar, na qual a JAL-Japan Airlines tem 50% de participação, informou na quinta-feira (8), que suspenderá por tempo indeterminado 6 de suas 24 rotas operadas dentro do Japão.

O motivo da decisão foi a baixa demanda por causa da pandemia do novo coronavírus e pode ser que essas rotas sejam extintas.

São 3 que partem do KIX-Aeroporto Internacional de Osaka, com destino a Fukuoka, Kumamoto e Kochi. A outra é do Aeroporto Internacional de Narita a Shonai (Yamagata). Outras duas são as que partem do Centrair-Aeroporto Internacional de Chubu para Chitose, em Hokkaido, e Kagoshima.

No Centrair a Jetstar continua operando para Fukuoka e Okinawa.
Os atuais voos foram programados para operar no calendário de inverno, até março do ano que vem. A companhia aérea continua reduzindo os voos por causa da pandemia e isso afetará 374 voos de ida e volta em novembro, para as rotas de operação regular.

Diante desse quadro a base do KIX, onde pilotos e tripulantes trabalham, será fechada. Segundo a Jetstar, os funcionários que trabalham nessa base serão transferidos para as dos aeroportos de Narita e Chubu.

Para voos que foram suspensos, a companhia informa sobre reembolsos e alterações nas reservas na sua página web.
Fonte: Portal Mie com CTV, Yomiuri, CBC TV e Tokai TV





JAL e ANA retomam alguns voos para a China

25 09 2020

As ações ocorrem quando autoridades chinesas abrandaram restrições sobre voos, disseram as duas companhias aéreas japonesas

A All Nippon Airways – ANA e a Japan Airlines – JAL disseram na quinta-feira (24) que retomarão em breve alguns de seus voos para a China que elas haviam suspendido após a pandemia de coronavírus.As ações ocorrem quando autoridades chinesas abrandaram restrições sobre voos, disseram as duas companhias aéreas. O vírus foi inicialmente detectado na China no fim do ano passado antes de se espalhar pelo mundo.

Atualmente, as duas aéreas japonesas só tinham permissão para atender uma rota cada para viagens de e para a China continental. A ANA opera entre Narita e Xangai e a JAL entre Narita e Dalian.

Na retomada de operações, a ANA adicionará Qingdao e Ghuangzhou a seus destinos com início em 30 de setembro, enquanto a JAL a partir de 2 de outubro.

Elas estão esperando forte demanda para viagens a negócios, visto que montadoras japonesas e muitas outras empresas operam na China.
Fonte: Portal Mie com Mainichi





Economia do Japão encolhe a ritmo recorde

17 08 2020

Segundo especialista, o grande declínio pode ser explicado pela diminuição no consumo e exportações

ienes3
O Japão foi afetado pela maior contração econômica em registro no segundo trimestre, visto que a pandemia de coronavírus esmagou o consumo e exportações, colocando legisladores sob pressão para tomarem ações mais ousadas a fim de prevenir uma recessão mais profunda.

O terceiro trimestre consecutivo de declínios derrubou o tamanho real do produto interno bruto (PIB), eliminando benefícios trazidos pela política de estímulo econômico do primeiro-ministro Shinzo Abe, chamada de “Abenomics”, iniciada no fim de 2012.

Enquanto a economia esteja emergindo da estagnação após a suspensão de um estado de emergência no fim de maio, muitos analistas esperam que qualquer recuperação no atual trimestre seja modesta, visto que um aumento renovado no número de infecções por coronavírus mantém as carteiras dos consumidores fechadas.

“O grande declínio pode ser explicado pela diminuição no consumo e exportações”, disse Takeshi Minami, economista chefe no Instituto de Pesquisa Norinkuchin.

“Espero que o crescimento seja positivo no trimestre julho-setembro. Mas globalmente, a recuperação está lenta, com exceção da China”.

A terceira maior economia do mundo contraiu anualizados 27,8% em abril-junho, mostraram dados do governo nesta segunda-feira (17), marcando o maior declínio desde 1980, quando dados comparativos se tornaram disponíveis, e ligeiramente maior do que a previsão de média de mercado para uma queda de 27,2%.

Enquanto a contração tenha sido menor do que aquela nos EUA, ela foi bem maior do que a queda de 17,8% que o Japão sofreu no primeiro trimestre de 2009, durante o colapso da Lehman Brothers.

O tamanho real do PIB do Japão encolheu para 485 milhões de ienes, o mais baixo desde abril-junho de 2011, quando o Japão ainda estava sofrendo de duas décadas de deflação e estagnação econômica.

O Japão lançou um massivo estímulo econômico e fiscal para amortecer o golpe da pandemia, a qual afetou uma economia que já cambaleava por causa do aumento do imposto sobre consumo de outubro de 2019 e da guerra comercial entre EUA e China.

Enquanto a economia tenha sido reaberta após a suspensão do estado de emergência nacional do governo no fim de maio, um ressurgimento preocupante no número de infecções colocou uma nuvem sobre o panorama para negócios e gastos das famílias.
Fonte: Portal Mie com CNBC





JAL retomará totalmente as operações de voos domésticos

2 07 2020

A demanda por viagens está crescendo desde 19 de junho quando as restrições sobre o movimento das pessoas entre províncias foram suspensas

jal airplane3
A Japan Airlines – JAL disse na quarta-feira (1º) que está planejando reiniciar totalmente as operações de seus voos domésticos já em outubro em meio a sinais de uma recuperação na demanda por viagens, afetada pela pandemia de coronavírus.

A JAL já começou a aumentar gradualmente o número de voos domésticos desde a suspensão do estado de emergência no país em maio que viu a companhia aérea cortar mais de 70% dos voos de seu cronograma normal.

“Esperamos recuperar 80% em agosto e operar totalmente em linha com nosso cronograma normal em torno de outubro”, disse Shunsuke Honda, oficial executivo, aos repórteres no Aeroporto de Haneda em Tóquio.

Ele disse que a demanda por viagens está crescendo desde 19 de junho quando as restrições sobre o movimento das pessoas entre províncias foram suspensas.

Entretanto, com as taxas de infecções aumentando nas últimas semanas em Tóquio e outras grandes cidades, Honda disse: “Gostaríamos de aumentar o número de viagens ou usar aeronaves maiores para que possamos evitar voos cheios o máximo possível”.
Fonte: Portal Mie com Mainichi





Japão prepara testes rápidos de saliva para todos os viajantes internacionais

22 06 2020

A companhia farmacêutica Shionogi produzirá em massa kits de teste de coronavírus em preparação para o outono

test covid
A companhia farmacêutica Shinogi assinará um acordo de licença neste mês destinado a produzir em massa um proposto teste de coronavírus que fornece resultados mais rápidos sem precisar de equipamento especial ou técnicos.

O teste foi desenvolvido pelo professor da Universidade Nihon, Masayasu Kuwahara, e sua equipe. Se provar ser eficaz, a Shinogi buscará aprovação do Ministério da Saúde do Japão, esperando comercializar o teste neste outono.

Quando o Japão relaxar as restrições de viagem neste verão, o país exigirá que todas as chegadas internacionais sejam submetidas a um teste PCR. Mas o diagnóstico desse teste pode levar de 3 a 4 horas e exige equipamento especial e funcionários especializados.

O governo busca uma alternativa mais rápida que pode ser conduzida em volumes maiores para evitar congestionamentos de viagem. Um teste rápido e fácil também poderia ajudar o Japão a lidar melhor com uma segunda de infecções, que pode acompanhar a retomada de atividades econômicas.

O novo teste usa amostras de saliva aquecidas a 95ºC por 2 minutos, então colocadas em um reagente que muda de cor dependendo dos resultados em 20 a 25 minutos. Ele é baseado no sinal de amplificação por complexos ternários de iniciação, ou SATIC, método descoberto pela equipe de Kuwahara.

O teste é bem mais rápido e não necessita de equipamento especializado porque não exige amplificação do material genético como o teste PCR, disseram pessoas com conhecimento do assunto.

Pesquisa sobre esse método vem sendo financiada pela Agência do Japão para Pesquisa Médica e Desenvolvimento e outras organizações. A Universidade Nihon e a Universidade Médica de Tóquio solicitaram juntamente uma patente em maio.

O Japão tem capacidade para até 28 mil testes PCR por dia, embora menos de 10 mil sejam conduzidos. Tais limites significam que somente cerca de 250 viajantes estrangeiros devem ter permissão para entrar no país diariamente uma vez que o país relaxar as restrições de viagem.
Fonte: Portal Mie com Asia Nikkei





Japão pode reiniciar as viagens de negócios neste verão

11 06 2020

Governo planeja permitir a entrada de 250 viajantes estrangeiros por dia da Austrália, Nova Zelândia, Tailândia e Vietnã

narita airport2
O Japão planeja aliviar as restrições impostas devido à pandemia de coronavírus e deve reiniciar as viagens de negócios da Austrália, Nova Zelândia, Tailândia e Vietnã no início deste verão, disse o jornal Yomiuri na quinta-feira.

É provável que seja permitida a entrada de cerca de 250 viajantes de negócios por dia desses quatro países que viram suas situações de infecção se estabilizarem, informou o jornal, sem citar fontes.

Os futuros visitantes deverão enviar um documento antes de suas viagens ao Japão, mostrando que não estão infectados. Além disso, após a entrada, serão solicitados a passar por um teste de PCR, segundo o jornal.

Atualmente, estrangeiros de 111 países e regiões estão proibidos de entrar no Japão. Por outro lado, segundo o Ministério das Relações Exteriores, 181 países e regiões impuseram restrições de viagem ao Japão, incluindo Austrália, Nova Zelândia, Tailândia e Vietnã.

De acordo com a agência de notícias Kyodo, espera-se que o alívio das restrições de viagem seja mútuo e que estejam sendo realizadas discussões com esses países sobre aplicá-lo sem arriscar a disseminação da doença.

O Japão escolheu os quatro países para o esquema porque eles têm o surto sob controle e devido aos seus fortes laços econômicos com o país, disseram as fontes.

Dependendo da situação, o governo expandirá a lista posteriormente para outros países, incluindo China, Coréia do Sul e Estados Unidos.
Fonte: Alternativa





Japão se prepara para duplo cenário de coronavírus e desastre natural

1 06 2020

Governos locais despertam para a necessidade de se preparar para um cenário de pior caso – desastre natural e surto de coronavírus afetando suas áreas ao mesmo tempo

Ginza
Governos locais no Japão estão despertando para a necessidade de se preparar para um cenário de pior caso – um desastre natural e surto de coronavírus afetando suas áreas ao mesmo tempo.

Apesar do fim do estado de emergência por causa do surto do vírus que o primeiro-ministro Shinzo Abe declarou para a nação toda em um ponto, infecções não chegaram a zero e o arquipélago está em alerta contra um ressurgimento nos casos após algumas cidades terem registrado clusters (aglomerados) de infecções nos últimos dias.

O Japão é propenso a desastres naturais como terremoto ou tufões, e municípios locais têm planos de resposta. Mas este ano, eles estão enfrentando dificuldades para prevenir que abrigos de emergência se tornem focos de infecções por coronavírus, visto que a chegada da temporada das chuvas afetará o país inteiro em junho.

A cidade de Kesennuma (Miyagi) decidiu aumentar de 12 para 25 o número de escolas e centros comunitários que fornecerão abrigos principalmente para residentes idosos que iniciam o processo de evacuação antes dos outros em casos de desastres como inundações.

Kesennuma tem um total de 96 instalações prontas para servir como abrigos de emergência na sequência de desastres incluindo terremoto ou tsunami.

O plano é destinado a evitar a superlotação de instalações de emergência ao dispersar os evacuados e reduzir aos riscos de transmissão do vírus, visto que o Japão está pedindo às pessoas que evitem espaços fechados, lugares lotados e contato próximo, os 3 Cs em inglês (closed spaces, crowded places e close-contact settings).

As pessoas em abrigos precisam manter uma distância de 2 metros e usar desinfetantes, de acordo com as diretrizes operacionais da cidade.

Mas um oficial da cidade reconhece que ajuda de entidades de fora, como associações de residentes locais, pode ser necessária para operar essas instalações. “Funcionários do governo da cidade podem não ser suficientes”, disse o oficial.

A região nordeste do Japão foi devastada pelo grande terremoto e tsunami em 2011 que causou o pior acidente nuclear na província de Fukushima desde o de Chernobyl.

Número de casos no Japão aumenta, mas a um ritmo bem mais lento
Especialistas médicos estão pedindo por vigilância contínua contra o vírus que causa pneumonia, embora Abe tenha declarado em 25 de maio que o estado de emergência estava encerrado.

O número total de casos no Japão continua aumentando, embora a um ritmo bem mais lento, com a contagem situando-se a 17,5 mil, incluindo cerca de 700 do navio de cruzeiro Diamond Princess que ficou sob quarentena na cidade de Yokohama em fevereiro.

Todos os anos, o Japão é atingido por uma série de terremotos, e vários tufões que causam caos em partes do arquipélago em todo verão e outono nos últimos anos.

Se aumentar a necessidade de buscar abrigo, os evacuados serão encorajados a trazerem suas próprias máscaras, sabonetes e termômetros.

A cidade de Amagasaki (Hyogo) planeja preparar abrigos que aceitarão exclusivamente pessoas que tiveram contato próximo com infectados ou para aqueles que retornaram do exterior.

Mas ir a instalações de evacuação preparadas por autoridades do governo não é a única opção, desde que haja outros lugares seguros. Hotéis e pousadas no estilo japonês também podem representar um papel importante, diz o governo central.

Visto que a disponibilidade de quartos flutua dia a dia, o uso de hotéis pode não ser fácil. “É difícil criar planos com antecedência sobre o uso de hotéis”, disse um oficial do governo da cidade de Nagano (província homônima), que foi atingida pelo tufão Hagibis em outubro passado.

A cidade planeja se organizar com hotéis quando um desastre ocorrer.
Fonte: Portal Mie com Kyodo News and Cuture





População de Tóquio está voltando para a rotina gradualmente

26 05 2020

Parques foram reabertos, para alegria das crianças que se divertiram nos brinquedos

tokyo Shibuya
Uma foto tirada de um helicóptero do cruzamento de Shibuya, em Tóquio, na manhã desta terça-feira (26), um dia depois de o governo suspender o estado de emergência, mostra que a população está voltando para suas rotinas, mas gradualmente.

O cruzamento de Shibuya costuma receber multidões, mas agora tem alguns pedestres atravessando o trecho.

“Parece haver um pouco mais de pessoas”, disse um trabalhador de 30 anos que estava entre as que se dirigiam ao seu escritório em frente à estação.

“Não é como se pudéssemos retornar imediatamente às nossas vidas anteriores. Rezo para que não ocorra uma segunda onda (de infecções) devido a todos terem baixado a guarda”, disse ele.

Uma mulher de 40 anos, que estava viajando desde o período de emergência, que começou em 7 de abril, disse estar “feliz por nossa vida diária voltar ao normal”. Mas expressou preocupação de que algumas pessoas não usassem máscara.

O governo metropolitano de Tóquio decidiu retomar o ritmo econômico em três etapas, e a capital está agora no primeiro estágio.

Museus, bibliotecas e instalações esportivas cobertas podem reabrir, enquanto restaurantes, aos quais foi solicitado que parassem de fornecer álcool antes das 19h e fechassem às 20h, agora pode permanecer abertos e oferecer bebidas alcoólicas até 22h.

Uma loja de departamentos de Odakyu, no movimentado distrito comercial de Shinjuku, na capital, foi reaberta, com seus trabalhadores usando máscaras e protetores faciais.

“Eu estava esperando a reabertura. É divertido estar em uma loja de departamentos depois de um tempo”, disse Katsuyo Miura, 77 anos, que viajou de Sagamihara, na província de Kanagawa.

Equipamentos de playground em parques municipais, que estavam com os acessos fechados, também foram disponibilizados novamente.

As crianças correram para os balanços e outros equipamentos assim que os trabalhadores removeram a fita de segurança deles no Kinuta Park, na ala de Setagaya.

“Estou muito feliz porque agora posso deixar meu filho brincar em um parque sem restrições”, disse Megumi Tsukahara, 31, que mora nas proximidades com seu filho de 2 anos.

Na província de Chiba, onde as restrições foram encerradas da mesma forma, um teatro esta se preparando para começar a receber visitantes a partir de quarta-feira, com sua equipe higienizando assentos e máquinas de ingressos.

“Espero que não ocorra uma segunda onda (de infecções)”, disse o gerente do teatro, Hiroshi Horikawa, 51.

A província de Hokkaido, uma das últimas cinco que tiveram o estado de emergência suspenso, também teve um início lento.

Hiroshi Momono, um trabalhador de 70 anos de uma organização sem fins lucrativos que estava em um trem para seu escritório em Sapporo, disse que o número de passageiros nos vagões não tem mudado há quatro dias.

“Talvez a prática de pegar trens em momentos diferentes esteja criando raízes”, disse ele.
Fonte: Alternativa