Nakano em Tóquio também reconhecerá uniões entre pessoas do mesmo sexo

11 05 2018

Além de outros 2 distritos em Tóquio, cidades nas províncias de Hokkaido, Okinawa, Mie e Hyogo adotaram sistemas similares

união mesmo sexo
O distrito de Nakano (Tóquio) começará a emitir certificados reconhecendo as uniões civis entre pessoas do mesmo sexo em agosto, se tornando a terceira localidade na capital a adotar tal sistema.

Casais com idade acima de 20 anos que moram no distrito poderão solicitar os certificados após apresentar documentos juramentados, se comprometendo a apoiar um ao outro como parceiros ao longo da vida.

O casamento entre pessoas do mesmo sexo não é legalizado no Japão e tais casais sofrem discriminação com frequência quando precisam alugar um imóvel ou visitar parentes no hospital.

Além dos distritos de Shibuya e Setagaya, ambos em Tóquio, as cidades de Sapporo (Hokkaido), Naha (Okinawa), Iga (Mie) e Takarazuka (Hyogo) adotaram sistemas similares.

O distrito de Nakano também oferecerá certificado que garante legalmente as uniões homoafetivas para situações como visitas a hospitais se os casais apresentarem documento notarial adicional. Certificados similares são emitidos pelo distrito de Shibuya.
Fonte: Portal Mie com Japan today, Kyodo

Anúncios




Tentativas de entrar no Japão com produtos ilegais crescem 4 vezes; aeroportos fazem alerta

5 05 2018

Setores de fiscalização e quarentena alertam para proibição de carnes e riscos de doenças

aeroporto de narita avioes
Os portos e aeroportos do Japão estão mais rigorosos com a fiscalização dos pertencentes de pessoas que chegam do exterior, devido ao número elevado de casos de passageiros que tentam entrar no país com produtos ilegais.

Os casos que mais preocupam as autoridades de saúde e o Ministério da Agricultura estão relacionados ao porte de carnes do exterior, que podem trazer doenças ao país. Uma reportagem da NHK informou que, no ano passado, foram 95 mil casos de apreensões, um número 4 vezes superior ao registro de 2007.

As áreas de inspeções e quarentena de portos e aeroportos registraram um total de 41 mil casos de produtos ilegais vindos da China, 13 mil do Vietnã e 9 mil das Filipinas. Cerca de 27% dos casos corresponde a produtos alimentícios feitos de carne moída e processada.

Em 20% dos casos, os passageiros trouxeram variedades de salsicha e em 17%, os produtos apreendidos eram alimentos feitos com carne de frango, além de numerosos casos de porte de carne crua.

O Ministério da Agricultura alertou que a importação particular de produtos alimentícios como carne e ovos, além de pele ou pelo de animais (com exceção de produtos como bolsas de couro ou lã) é proibida no Japão e que há riscos de proliferação de doenças.

Em dois casos de carne de frango recolhidas de passageiros no ano passado, foi detectado o vírus da influenza. O setor de inspeção do Aeroporto de Narita alertou para a compra de carne seca nas lojas isentas de impostos. “Esses alimentos não devem ser trazidos ao Japão, queremos que a população fique ciente disto”, comentou um porta-voz.
Fonte: Alternativa